Ibotirama: nove anos depois, menino que teve 31 agulhas inseridas no corpo vive bem e tem boa saúde; quatro objetos não foram retirados

O caso comoveu a cidade e ganhou repercussão no mundo inteiro.

0
O menino estuda e leva vida normal. (Foto: Reprodução/TV Bahia)
Publicidade

Nove anos após ter 31 agulhas inseridas no corpo pelo ex-padrasto, o menino de Ibotirama, na região Oeste, hoje com 11 anos, ainda convive com quatro objetos dentro do corpo.

O caso comoveu a cidade e ganhou repercussão no mundo inteiro. Na época, o filho de Maria Souza Santos deu entrada no hospital chorando e sentindo diversas dores. Uma radiografia confirmou o material no corpo dele.

Atualmente a criança vive bem e tem boa saúde. As quatro agulhas que ainda estão no corpo não oferecem risco, pois elas, segundo o que os  médicos disseram à mãe do  garoto, não se movimentam. 

 Roberto Carlos Magalhães, o autor do crime, foi condenado a 12 anos e seis meses de prisão por tentativa de homicídio triplamente qualificado e cumpre pena em Salvador.

Outras duas mulheres que teriam sido cúmplices dele no crime, Maria dos Anjos Nascimento, de 56 anos, e Angelina dos Santos, suposta amante de Roberto, foram inocentadas das acusações por falta de prova.