No dia 1º de abril, conheça a história de Ibotirama e o Raio da Silibrina

Caso aconteceu há anos e faz parte do acervo de histórias de alguns dos moradores da cidade.

0
Ônibus antigo da banda. (Foto: Reprodução)

As fontes consultadas para a construção da narrativa a seguir não sabem precisar a data em que o fato aconteceu. Porém, depois do caso do arrebatamento,  elas dizem que esta história é uma das mais famosas de Ibotirama, pacata cidade da região Oeste.

Conta-se que em um fim de semana, já na metade da noite, um círculo grande e branco começou a pairar no céu. O objeto tinha o formato de um disco voador e parecia observar atentamente cada morador da cidade.

Não demorou muito para que a conversa se espalhasse e os mais corajosos se arriscassem às ruas para verificar a aeronave. Talvez por beirar o ano  2000, alguns acreditavam que aquela assombração viria cumprir a profecia do fim do mundo.

Mas as reações foram as mais diversas possíveis, e as fontes consultadas se divertem ao lembrar de algumas delas.

“Teve um grupo de pessoas que correu pra igreja e começou a fazer orações, achando que aquela era a hora”, afirma um depoimento.

“Por medo, alguns trancaram as portas da casa e se esconderam debaixo da cama”, complementa outro.

O fato é que o disco voador desapareceu, e a explicação para o fenômeno, oficialmente, só chegou no outro dia, em um programa de rádio: “Banda Raio da Silibrina deixa povo de Ibotirama de cara pra cima”, anunciava o locutor.

Na verdade, o círculo grande que pairava no céu se tratava da projeção de um canhão de luz utilizado por uma banda de forró que faria um show na cidade. Como o recurso ainda era pouco conhecido à época, a sinalização assustou alguns dos moradores e causou rebuliço nas ruas.