Polícia Civil conclui inquérito sobre caso de mulher “enterrada viva” em Riachão das Neves

Delegado pede arquivamento do caso. Mãe da falecida segue em acompanhamento psicológico.

0
Cemitério onde a mulher foi enterrada. (Foto: Reprodução)
Publicidade

Um inquérito da Policia Civil concluiu que Rosângela Almeida, suspeita de ter sido enterrada viva há mais de um mês no município de Riachão das Neves, estava de fato morta quando foi sepultada.

Durante as investigações, a polícia ouviu o agente funerário responsável pelo preparo do corpo da mulher. Em depoimento, Missael Magalhães afirmou que Rosângela não demonstrou nenhum tipo de reação no momento em que lhe foi aplicado formol.

Apesar do indiciamento de Germana Almeida, mãe de Rosângela,  por violação de sepultura, o delegado à frente das investigações solicitou o arquivamento do caso, já que foi comprovada através de análise psicológica a perturbação mental da acusada.

Germana Almeida continua recebendo acompanhamento psicológico devido ao trauma causado pela morte da filha, além do episódio ocorrido dias depois. O Ministério Público e o Poder Judiciário podem solicitar novas investigações se julgarem necessárias.